Como, comes, come, comemos, comeis, comem.
Comi, comeste, comeu, comemos, comestes, comeram.
Comerei, comerás, comerá, comeremos, comereis, comerão.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Um almoço certeiro

Acertei a mão nesse almoço. Risoto de camarão, batatas ao forno com páprica e pimenta e um vinagrete de mariscos. Muito bom!

sábado, 21 de maio de 2016

Sabor Peru

Polvo delicioso do Sabor Peru. Já fomos lá duas vezes e em ambas a comida estava ótima. Pra falar bem a verdade, já demoramos para voltar...

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Pinhão!!!

Definitivamente prefiro o verão. Mas o inverno tem delícias de babar, e uma das maiores é o pinhão. O fruto da ameaçada araucária é bom de várias maneiras. Mesmo puro e sem sal, na brasa ou cozido, é perfeito. Tenho uma receita clássica, que até que me provem o contrário fui eu mesmo que inventei, pois nunca vi alguém fazer igual. 

Cozinhe na água, mas não muito. A ideia é que ele fique ainda meio durinho. Descasque ainda bem quente e coloque-os em uma tigela. Lance um fio de azeite de oliva, sal e moa um pouco de pimenta do reino em cima. Misture bem. Sirva uma taça de vinho para acompanhar e pronto. O inverno mostra seu melhor lado. 

Aproveite a época dessa semente de forma intensa, pois ela acaba em um piscar de olhos. E quando ver que há um pinheirinho brotando de alguma casca, ao invés de lançá-lo para sua barriga, plante-o. A natureza e as futuras gerações agradecem. 

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Minha horta

Aí está a horta que cultivo na floreira do nosso apartamento. A maioria das plantas são comestíveis. Tem, da esquerda para a direita: alecrim, sálvia, tomilho, cebolinha, pimenta, salsinha, salsão, manjerona, manjericão e hortelã. Ah sim, é uma batata doce que brotou na cozinha e veio pra cá. Na decoração 4 tipos de flor, um cactus, uma renda portuguesa e duas plantinhas com folhas suculentas que não sei o nome. 
Linda, hein?

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Comidas Acreanas

O "Comidas Comentadas" hoje desembarca no Acre, na minha opinião, o estado com o povo mais simpático e hospitaleiro do Brasil. As fotos abaixo mostram uma iguaria com o nome deveras interessante: baixaria. É isso mesmo, baixaria. É feito com uma farinha de milho por baixo, carne moída, ovo frito e uma salada verde por cima. Faz o maior sucesso no fim da noite, depois da balada.
É também feito pela dona Letícia, na sua barraca do Mercado do Bosque, o kibe abaixo. Chamado de kibe de arroz é um salgado muito bom. Na verdade comi ele em dois lugares, em um deles estava meio esquisito, mas esse aí da foto estava ótimo, bem crocante. A foto do lado é um tomate recheado com queijo envolto em uma carne a milaneza. Achei a descrição do prato muito interessante, o que me levou a pedi-lo. Bom, mas lendo achei que era melhor...
Para finalizar tem um salgadinho muito popular que é feito de banana frita. Parece uma mandioca frita. Com cerveja é uma beleza! E para sobremesa, um açai especial servido no Café do Theatro. O chantili por cima dá uma adoçada forte nele, mas os grãos de café equilibram o gosto. E acompanhando o famoso suco verde, feito de maracujá, limão e couve. Ótimo esse suco. Se for para Rio Branco não deixe de provar.
Até mais!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

É Dia de Galeto!

Para quem gosta de galeto, polenta e uma salada de radiche, uma ótima sugestão em Floripa é o restaurante Il Gallo Del Mare. O ambiente e o atendimento são muito bons, e a comida nem se fala. A foto abaixo pode dar uma idéia. Quem quiser conferir o cardápio e os preços pode ir na página do restaurante: http://www.ilgallodelmare.com.br/ Uma dica: se puder vá num dia de semana e aproveite o caldinho de feijão de aperitivo. Só não exagere para que a fome não acabe antes do prato principal!

domingo, 21 de junho de 2009

Mercado Municipal de Sampa

Acho que uma boa pedida é iniciar as postagens com fotos de um lugar muito saboroso, o mercado municipal de São Paulo. Para quem gosta de cozinhar, caminhar por ali é, sem dúvida, um passeio e tanto. Mas também pode ser uma tortura, principalmente se a fome estiver contigo.
O certo é que olhar tantas comidas diferentes instiga o mestre cuca de qualquer pessoa. Bem, senão o mestre cuca, o glutão que existe dentro de nós. Dá vontade de pedir um pedaço de cada coisa para provar. Antes de comer um baita saduba no andar de cima, comprei algumas amostras de sementes e azeitonas por poucos reais. Só para abrir ainda mais o apetite, como se não bastasse o visual.

Aconselho, para quem não conhece, levar um pouco de dinheiro. Muitas iguarias acabam sendo do mesmo preço ou até mais caras que em um supermercado normal. Mas ir ali e ficar só no prazer visual é até um pecado. Ainda bem que muitos vendedores te livram da curiosidade na cortesia.

Para saber mais sobre essa meca da comilança brasileira: